23 de fevereiro de 2017

Lentos os dias.


Lento o vazio das ruas.
Lentos os caminhos sulcados pelas veias.
Tão lentos que um lento gesto
me bastava para conter um verso
por mais silente que fosse.
Agora, as palavras dançam à minha volta.
São serpentinas de todas as cores
enroladas ao corpo.
Difíceis de domar fragmentam-se, voam.
Como vultos imprecisos
no transtorno das mãos.

Graça Pires

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...