4 de janeiro de 2017

Naturalmente… Mulher


Não é preciso que te pintes…

Mulher Basta que sejas essa bela natural e guerreira

Sou eu o mestre que pinta, na beleza de uma qualquer

Basta que o teu sorriso solte uma aventureira

Um olhar inquietante e uma vontade de quem me quer

Não é preciso que te pintes…

Flor Basta que nos complexos vícios do teu rosto

Sejas somente um coração de amor

Sou eu que pinto na tela o vinho e o mosto

Num olhar que desejo ver natural e sedutor

Não é preciso que te pintes…

Musa Basta que te sentas amazona e selvagem

Sejas no corpo o ondular para lá da blusa

Sou eu que pinto com dedos em modelagem

Com amor, se me amares liberta e não confusa

 José Alberto Sá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...