12 de janeiro de 2017

E agora que esse silêncio me devolve a calma


E agora que esse silêncio me devolve a calma, destruo tudo que me deixou partido, toda a saudade de ti se lasca agora do meu peito.

Isolo-me da dor (do rancor), afogo minhas lembranças... e quando dou por mim, esvazio-me de ti!

(Daniel, Matthew).

Um comentário:

  1. Traição

    Ivone Boechat

    Hoje,
    que as memórias se esvaem,
    e os amigos fogem de mim,
    só tenho minhas poesias
    como amigas
    confidentes,
    mesmo assim,
    impertinentes,
    sem rima e vazias
    não inspiram a menor confiança:
    elas também me traem.

    Publicado no meu livro AMANHECER 3ª.Ed Reproarte -RJ 2004

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...